Cinema | Joy


Finalmente! Sim, finalmente vi o filme. E sim, só agora é que ando a ver os filmes que foram nomeados para os Oscars. Não posso dizer que era aquele filme que queria mesmo muito ver, aquele que tanto esperei para poder ver como aconteceu com o "The Hateful Eight" (e que foi um tiro ao lado, eu sei). Mas adiante.

Se tivesse que descrever JOY numa palavra seria: inspiração. É daqueles filme que nos fazem acreditar que podemos fazer qualquer coisa, podemos realizar os nossos sonhos e que, apesar de podermos encontrar muitos buracos no chão, há sempre forma de os atravessar, de seguir em frente rumo aos nossos objetivos. "Os fracos não reza a história" e com toda a verdade. É preciso sonhar, é imperativo lutar, criar.

E se hoje dizemos que isto não está fácil, na altura de Joy também parecia não estar. Os interesses monetários são sempre um obstáculo para aqueles que não têm dinheiro, que se deparam com fraudes, que são obrigados a acumular dívidas e até mesmo a hipotecar a casa comprometendo o futuro dos filhos. Se para Joy foi possível contornar os problemas familiares, os roubos e fraudes a que foi sujeita, e mesmo assim conquistar um império... Então também pode estar ao alcance de qualquer um.

Quanto à personagem de Jennifer Lawrence, confesso que não ia com grande confiança devido às críticas que se ouviram na altura dos Oscars. A menininha de Hunger Games que agora deu vida a uma mãe lutadora. Muito bom!

1 comentário:

  1. Eu gostei muito do filme e concordo consigo é uma fonte de inspiração :) Achei a interpretação da Jennifer Lawrence muito boa, só veio comprovar que é uma das melhores actrizes da sua geração :)

    Linha Reta | Facebook | Instagram | Pinterest

    ResponderEliminar