Música | Dolores O’Riordan

Desde muito cedo, algures durante a minha infância, que Dolores O'Riordan faz parte da minha vida. Os The Cranberries, onde O'Riordan era vocalista, acompanharam e marcaram toda a minha adolescência. Felizmente, cresci a ouvir "Zombie", a minha favorita da banda e que, em plenos pulmões, cantava de trás para a frente, "Smells Like Teen Spirit" dos Nirvana, ou até mesmo "Stainway to Heaven" dos Led Zeppelin, e não as que as minhas amigas ouviam na altura como Backstreet Boys ou Britney Spears. Felizmente.

É por isto que é triste, triste e lamentável, que artistas como estes partam tão cedo. Em nós, os fãs, fica a pena de nunca ter assistido a um concerto ao vivo, mas também fica um legado, uma herança que perdura. A mim particularmente, O'Riordan deixou-me uma série de músicas e álbuns que marcaram diversos momentos da minha vida, desde amores e desamores, momentos de revolta contra o mundo, a lembrança dos intervalos que passava sentada num canto qualquer de qualquer corredor da escola de fones nos ouvidos e livros nas mãos. Ainda hoje "Zombie" é uma das músicas que toca incansavelmente na playlist que criei especialmente para andar comigo no carro e, por mais vezes que a ouça, transporta-me sempre para momentos passados. É tão bom!

Sem comentários:

Enviar um comentário