Reencontrar-me

Saí de 2017 com a certeza de que algo teria que mudar, até porque "ano novo, vida nova" só acontece quando mudamos de rumo, caso contrário será apenas mais um ano igual ao anterior. Este ano estou decidida a reencontrar-me, a ser a pessoa que era e que tanto gostava de ser. Quero valorizar-me mais, confiar mais em mim, não ter medo de arriscar seja no que for e, acima de tudo, não duvidar de mim nem das minhas capacidades.

Sempre foi uma pessoa interessada em tudo, mesmo que não tenha a ver com a minha área de formação. Devorava livros de ficção cientifica ou romances com a mesma fugacidade e interesse como devorava "O Universo Numa Casca de Noz" ou um Saramago. Infelizmente perdi este interesse ao longo do ano passado, ou pelo menos joguei-o para baixo do tapete sem me aperceber.

Quero estar mais com os meus amigos, outra coisa que deixei para trás, e só me apercebi disso quando começaram a ser eles a perguntarem o que era feito de mim. Quero passar mais tempo com quem me faz bem e me aquece o coração, com quem faz de um simples encontro para um café uma fuga da rotina chata .

Quero viajar, quero conhecer o que não conheço, ver o que nunca vi. Quero ter mais experiências que me enriqueçam enquanto pessoa. Quero dizer "quero ir" ou "eu vou" em vez de ficar quieta no meu canto por pensar que não é a altura certa... Se a altura certa não for agora, quando será? Quero encher a minha maquina fotográfica com lembranças para mais tarde recordar, porque o que quero viver agora pode não ser o mesmo que quero daqui a uns anos, e acabo por não aproveitar nem o passado nem o presente.

Quero tanto e tanta coisa.

Saí de 2017 exausta, foi um ano extremamente difícil, mas no que depender de mim 2018 vai ser um bom ano. E para isso preciso de voltar a ser quem era.

Sem comentários:

Enviar um comentário