Cinema | Phantom Thread


Tendo como pano de fundo a cidade de Londres nos anos 1950, altura do pós-guerra, o conceituado costureiro Reynolds Woodcook, um homem metódico e extremamente focado e viciado no trabalho, e a sua irmã Cyril estão no centro do requinte e do glamour que caracterizam a moda britânica da época, vestindo a realeza com os belos vestidos da Casa Woodcook, bem como estrelas de cinema, socialites e pessoas autorizadas a usar as criações da marca.

Reynolds tem uma personalidade (muito) complicada, talvez bipolar. Tudo (e todos) tem que estar do seu agrado para que a sua concentração no trabalho e a sua tranquilidade não seja afetada. Por norma, as mulheres entram na vida de Reynolds como fonte de inspiração e companhia, depressa saem... até que se cruza com a jovem Alma, uma mulher obstinada que rapidamente se torna no seu centro do mundo, a sua musa inspiradora e a sua amante. Com Alma na sua vida, o costureiro vê agora a sua vida, antes bastante controlada, de "pernas para o ar".

É uma história de amor, apesar de não ser muito comum, onde há um esforço evidente de criar um filme também ele repleto de requinte, delicadeza e das boas maneiras associadas ao estilo de vida dos personagens, talvez até demais. No entanto, e apesar de todos os excessos que encontro em duas horas de filme, não deixa de ser um filme interessante, sobre o envolvimento de um autoritário e complicado Woodcock, cheio de amor e ódio e principalmente carente de companhia e, uma mulher de natureza forte como Alma.

Sem comentários:

Enviar um comentário