Um ano de Marley & eu

Fez ontem exatamente um ano que vi o Marley pela primeira vez. Um ano passou desde o dia em que a senhora do canil foi buscá-lo à casa do antigo dono, que já não o queria por ser demasiado grande, e entregou-mo. Um ano desde que tive que carregá-lo ao colo para dentro de casa porque tinha medos que para mim ainda são inexplicáveis, como por exemplo medo das portas - para que ele entre em qualquer divisão da casa as portas têm que estar totalmente abertas. Medos que temos tentado combater mas que, embora ele ainda seja novo, estão a ser difíceis de ultrapassar.

Na altura falei vos dele aqui, e ainda hoje não consigo sequer imaginar pelo que ele passou antes de o conhecer. Tinha perdido o meu antigo cão à relativamente pouco tempo quando adotei o Marley, mas não adivinhava que aquele patudo sujo e de olhos tristes se ia tornar tão importante na minha vida, na nossa vida. Hoje percebo que o meu pretinho brilhante é que nos adotou a nós.

Nunca tive mais do que um animal de estimação ao mesmo tempo, e apesar de ter poucas recordações dos animais que tive antes do Simba, o amor que tenho ao Marley não substitui, de todo, o amor que tive ao Simba. Não digo que gosto mais de um do que do outro, gosto dos dois com a mesma intensidade, mas ao mesmo tempo de formas diferentes. Não há comparação possível que possa fazer. Cada um ocupa um lugar bem especial em mim.

Este último ano foi, sem dúvida, um ano de aprendizagem, de desafios. O Marley exige-nos muita atenção, muito carinho, mas também já aprendemos tanta coisa com ele.

Parabéns, gordinho!

3 comentários:

  1. São os nossos melhores amigos :D :D
    Não troco os meus por nada deste mundo :D :D

    http://w-m-mind.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  2. "Hoje percebo que o meu pretinho brilhante é que nos adotou a nós.". Muito amor num post, mas principalmente nesta frase.
    Cada vez mais tenho vontade de ter um cão, para poder sentir esse amor.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles dão-nos mais a nós do que algum dia nós poderemos dar a eles!

      Eliminar