1 + 3 | Sinto-me em casa

Sinto-me em casa na cozinha da minha avó enquanto ela cozinha para mim. No seu colo. Nos braços das pessoas que me são queridas. Nos abraços pequeninos, fortes e sentidos do meu irmão. Nas noites em frente à lareira. Nos abraços que dou ao Marley e nas lambidelas que me retribui. Sinto-me em casa quando bebo o meu chá preferido com bolachinhas de canela. Quando adormeço enquanto chove lá fora.

Sinto-me em casa quando passeio pelas margens da Ria Formosa. Quando vejo o pôr-do-sol na Praia de Faro. Sinto-me em casa no meu quarto, com as minhas coisas, as minhas recordações, com as fotografias das viagens que já fiz e da nossa história. Sinto-me em casa quando ele me acorda com beijinhos. Quando pouso a cabeça no seu peito e me deixo embalar pelos batimentos cardíacos. Quando me olha nos olhos e expressa em palavras o que sente por mim.

Sinto-me em casa junto dos meus livros e da coleção de discos vinil do meu pai. Quando me deixo levar pelo som das cordas da minha guitarra. Quando ouço Debussy, Sigur Rós, U2 e Nirvana. Sinto-me em casa quando tenho a família reunida, e os amigos também.

Sinto-me em casa quando encontro segurança e conforto, seja na minha própria companhia ou na companhia de outra pessoa. O mais importante é sentir que eu sou a minha casa. Uma casa com defeitos, qualidades, sonhos, objetivos. Mas é a casa onde tenho de me sentir eu, antes de conseguir  e de me permitir sentir o mesmo noutros braços.

3 comentários:

  1. "Casa" é um sentimento, e não um espaço físico.
    Um beijinho grande*
    Vinte e Muitos

    ResponderEliminar
  2. Que incrível, Jéssica! É tão isto, estar em casa é tudo o que nos faz sentir bem connosco e com os outros, é tudo que tão bem nos descreveste :)

    ResponderEliminar