1 + 3 | Jéssica de A a Z

Amor | Hoje sou uma pessoa de afetos. O amor é o sentimento mais bonito que existe e, dar esse amor aos outros, é o presente mais distinto e sincero que se pode dar. É muito importante que as pessoas mais importantes para mim, as pessoas que mais gosto, saibam que as amo verdadeiramente.

Blogue | Este blogue é o meu projeto pessoal mais duradouro e pelo qual tenho um carinho enorme. Começou com um objetivo definido mas com o passar dos anos precisei de fazer alterações para que nunca deixasse de me sentir em casa aqui. Gostava de lhe dedicar mais tempo, mais de mim, mas continua a ser o meu refúgio.

Cães | Todos os dias, quando entro em casa após sair do trabalho, agradeço por ter tido a feliz ideia de adotar o Marley. Já ultrapassámos muitos medos, muitas idas ao veterinário, muitas decisões que  esperava nunca ter de as tomar, mas no momento em que entro em casa, em que quatro patas gigantes vêm conta mim e a cauda abana com tanta rapidez, sei que foi a melhor coisa que fiz nos últimos anos. A Lady é uma roedora trapalhona que só veio trazer mais amor.

Dias de sol | Os dias de sol trazem uma energia diferente para enfrentar um novo dia. São dias mais bonitos, mais alegres e nós temos tanta sorte por vivermos num país em que existem dias assim a maior parte do ano. Uma caminhada ao final da tarde já com temperaturas amenas sabe-me pela vida.

Escrever | Gosto de o fazer, mas não porque me sinto obrigada pelo facto de ter um blogue para manter. Gosto de escrever sobre tudo e, grande parte das vezes, escrevo só para mim. Escrever foi a melhor forma que encontrei para me conseguir exprimir, para relaxar, para dar asas à imaginação.

Família | Há quem tenha uma opinião completamente diferente da minha, mas a verdade é que sou muito ligada à minha família. Graças a eles, a minha família de sangue e aquela que eu escolhi, cresci e tornei-me no que sou hoje, uma pessoa estável, de convicções e feliz.

Gratidão | Cada vez mais acho importante sermos gratos e cada vez mais tento sê-lo. Ser grata para com os outros, grata pelas coisas boas que acontecem, e pelas menos boas também, porque trazem sempre com elas lições.

Hoje | Sou uma pessoa do agora, do momento. Tenho dificuldades em deixar alguma coisa, algum plano prolongar-se por vários dias quando o poderia ter terminado, ou iniciado, no próprio dia. Por vezes, chega a ser um problema, especialmente quando o que tem que ser feito depende de mais pessoas para além de mim, como acontecia nos trabalhos de grupo, em assuntos do trabalho que têm forçosamente que ficar pendentes ou quando estou a planear uma viagem com amigos. Isto sim, para mim é uma dor de cabeça.

Inspiração | O Instagram é definitivamente a minha rede social favorita. Tem muitos aspetos negativos, mas também trouxe coisas boas, como por exemplo a oportunidade de nos inspirarmos nas bonitas fotografias que são partilhadas em todo o mundo, de viajar sem sair do sofá... Consigo encontrar inspiração aqui.

Justiça | Seja em que situação for, não gosto de tomar um partido sem ter consciência da outra parte. Faço questão de ouvir e tentar compreender os dois pontos de vista, e depois depois de uma troca de argumentos posso tomar as minhas próprias decisões, confiando que fui o mais justa possível apesar de que o mais justo nem sempre ganha.

Keep going | Continuar. Mesmo que o dia esteja a ser mau, ou mesmo a semana, gosto de pensar que é preciso continuar para alcançar seja que objetivo for. Desistir raramente é solução e posso dizer que a persistência é uma das minhas características mais vincadas.

Livros | Lembro-me de gostar de ler praticamente desde que aprendi a fazê-lo. Livro após livro aprendo quais são os meu géneros favoritos e aqueles com que cada vez me identifico menos. Os livros enriquecem-nos, dão-nos outras visões sobre o mundo, e tudo o que me acrescenta é bem vindo!

Mulher | Agradeço a quem acompanhou o meu crescimento sem que me fizessem sentir menos feminina. Detestava os filmes da Disney, porque, em praticamente todos eles, as mulheres desesperavam por um príncipe que as mantivesse e as protegesse. E isto, na minha mente ainda muito jovem, não fazia sentido quando a realidade que tinha em casa era diferente. Fui criada por duas mulheres que tudo fizeram para ter a própria independência quando a tradição não era essa e que, apesar de terem alguns pensamentos um pouco formatados para a época delas, nunca me transmitiram as ideias de que o cor-de-rosa era para as meninas (e eu sempre detestei rosa), que o nosso lugar era na cozinha e que tínhamos que saber fazer tudo em casa. E se hoje me considero uma mulher forte, com objetivos e feminista é graças a elas.

New York | O meu sonho. O meu paraíso.

Objetivos | Sou uma pessoa de objetivos. Preciso de fazer isto para ter aquilo, e o outro para o seguinte. Funciono assim, é como um ponteiro de uma bússola que me indica sempre o caminho para ser, ter e fazer o que quero.

Praia | Foi o meu porto de abrigo, o meu local preferido durante os bonitos anos que vivi no Algarve. Para além dos amigos que fiz, da minha cidade adotiva e de tudo o que lá deixei, a praia, o poder sentar-me na areia e ouvir o mar, é das coisas que tenho mais saudades.

Qualidade | Qualidade de vida é uma das coisas que mais prezo. Não anseio por uma casa de centenas de milhares de euros, nem com um carro topo de gama da marca X, aliás, estas coisas a mim dizem-me pouco. Prefiro ter um trabalho que gosto e onde seja feliz, amigos e família com quem possa contar, viajar o quanto me for possível, livros e outros hobbies que me acrescentem enquanto pessoa. É isto que considero qualidade de vida.

Reconhecimento | Sou confiante no meu trabalho, sei quando erro, sei assumi-lo, mas também sei quando faço as coisas bem, e sei que sei fazer. Mas preciso que o meu valor seja reconhecido. É importante para mim conhecer a opinião dos meus colegas, chefes, coordenadores, não é uma motivação para ser melhor, mas preciso de ser reconhecida.

Simplicidade | No vestuário, gosto de ser simples, clássica, intemporal. Com os outros, aprendi a sê-lo. Aprendi a adaptar o meu discurso dependendo da pessoa com quem falo e, uma vez que trabalho na área da saúde, aprendi a falar com os mais idosos. Este conceito também tento trazer para o meu dia-a-dia.

Tempo | Tempo para mim, as pausas ao longo do dia é algo que para mim é indispensável. Gosto do silêncio na hora de almoço, gosto de estar apenas na minha companhia enquanto leio um livro ou quando simplesmente estou perdida nos meus pensamentos.

Urbana | Sei o que é viver numa localidade pequena, rural, mas também conheço a realidade de viver numa cidade e, apesar de gostar da paz e do tempo vagaroso do campo, nunca me consegui rever aqui. Gosto da vida na cidade, do ritmo mais agitado. Gosto do facto de, ao contrário do que acontece nas pequenas localidades do interior, existir sempre qualquer coisa para ver, fazer, para visitar. Por motivos profissionais, há três anos que voltei para a minha terra natal e ainda hoje é uma luta diária para me habituar a isto.

Viajar | Há poucas coisas no Mundo que me façam mais feliz. Visitar um local desconhecido, estar em contacto com culturas, gastronomias, Histórias e realidades diferentes define quem somos. Viajar muda-nos e não posso estar mais grata por poder alimentar este bichinho.

Web | Se há 100 anos dissessem a quem por aqui andava que hoje podíamos aceder à Internet praticamente em qualquer lugar, estar ligado ao mundo, provavelmente seriam considerados doidos. O que é certo é que o seu aparecimento veio revolucionar tudo, incluíndo a forma como vivemos as nossas vidas e se trouxe coisas más, que foram bastantes, também trouxe as boas, a facilidade, a comunicação mais rápida...

Xadrez | Era um passatempo só nosso, meu e do meu avô. Foi ele que me ensinou todas as regras e a antecipar as suas jogadas. E hoje ainda guardo o nosso tabuleiro que tantas marcas de uso tem.

Yankees | Pode parecer cliché, mas para além de subir ao Empire State Building, passear pelo Central Park ou visitar a Estátua da Liberdade, adorava ver um jogo dos New York Yankees. Sim, sou uma adicta da cultura americana, fazer o quê?

Zona de conforto | A nossa zona de conforto é agradável, mas tem um problema, nada acontece por aqui. Ao longo do tempo reparo que gosto de desafiar-me, sair deste lugar e viver a vida, porque se não fizermos algo diferente, os nossos resultados serão sempre os mesmos.

4 comentários:

  1. Olá Jessica,
    Que desafio interessante! Vejo que temos ideias ou palavras começadas por algumas letras que teria colocado - praticamente - iguais.
    Este tipo de artigos são bons porque dá a conhecer um pouco de nós ou o que somos além do blog.
    Beijinho 😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, estás sempre a tempo de participar neste desafio da Carolina!

      Eliminar
  2. The challenges are soo cool
    https://www.stylebasket.in/

    ResponderEliminar
  3. Adorei este tema e adorei a tua publicação! Foi um gosto conhecer-te um bocadinho melhor e ver que temos algumas coisas em comum. Também sou, por exemplo, uma pessoa do momento, do hoje e isso de vez em quando também me provoca dores de cabeça :)
    Um beijinho

    ResponderEliminar